A B c D E F G H

Acordo no TST reajusta salários de metroviários da CBTU

Acordo no TST reajusta salários de metroviários da CBTU
Nenhum comentário.
Segundo Tribunal, trabalhadores terão reajuste de 3,98%. Funcionários da Valec, Embrapa e Codevasf também tiveram aumentos semelhantes. Usuários do metrô de Belo Horizonte Flávia Cristini/G1 Os metroviários da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) terão salários reajustados em 3,98%. O acordo foi fechado em dissídio coletivo no Tribunal Superior do Trabalho (TST) nesta segunda-feira (11). O reajuste será retroativo a 1º de maio de 2017 e extensível às demais cláusulas econômicas constantes do acordo coletivo homologado. De acordo com o TST, essas cláusulas abrangem adicional de quebra de caixa e de apontador, auxílios diversos como alimentação, creche, materno infantil e para filho com necessidades especiais, seguro de vida em grupo e plano de saúde. Além de Belo Horizonte, o acordo é válido para metroviários de Natal (RN), João Pessoa (PB), Maceió (AL), Recife (PE), e Rio de Janeiro (RJ). Para o Sindicato dos Empregados em Transportes Metroviários e Conexos de Minas Gerais (Sindmetro), a categoria conseguiu uma vitória e conquistou o que desejava. “O resultado foi uma vitória da categoria metroferroviária, mas particularmente dos companheiros e companheiras da STU/BH que se mobilizaram e realizaram uma belíssima greve! O SINDIMETRO tem orgulho de representa-los!”, disse o sindicato em nota. Os trabalhadores fizeram paralisação de quatro dias entre os dias 29 de maio e 1º de junho. A greve foi suspensa após a marcação do julgamento do dissídio para o dia 11 de junho. Reajuste em mais três estatais Servidores de outras três estatais também conseguiram reajustes de salário por meio de dissídio Valec (3,98%), Embrapa (3,97%) e Codevasf (3,97). Segundo o TST, todos são retroativos a maio.

Os metroviários da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) terão salários reajustados em 3,98%. O acordo foi fechado em dissídio coletivo no Tribunal Superior do Trabalho (TST) nesta segunda-feira (11).

O reajuste será retroativo a 1º de maio de 2017 e extensível às demais cláusulas econômicas constantes do acordo coletivo homologado. De acordo com o TST, essas cláusulas abrangem adicional de quebra de caixa e de apontador, auxílios diversos como alimentação, creche, materno infantil e para filho com necessidades especiais, seguro de vida em grupo e plano de saúde.

Além de Belo Horizonte, o acordo é válido para metroviários de Natal (RN), João Pessoa (PB), Maceió (AL), Recife (PE), e Rio de Janeiro (RJ). Para o Sindicato dos Empregados em Transportes Metroviários e Conexos de Minas Gerais (Sindmetro), a categoria conseguiu uma vitória e conquistou o que desejava.

“O resultado foi uma vitória da categoria metroferroviária, mas particularmente dos companheiros e companheiras da STU/BH que se mobilizaram e realizaram uma belíssima greve! O SINDIMETRO tem orgulho de representa-los!”, disse o sindicato em nota.

Os trabalhadores fizeram paralisação de quatro dias entre os dias 29 de maio e 1º de junho. A greve foi suspensa após a marcação do julgamento do dissídio para o dia 11 de junho.

Reajuste em mais três estatais

Servidores de outras três estatais também conseguiram reajustes de salário por meio de dissídio Valec (3,98%), Embrapa (3,97%) e Codevasf (3,97). Segundo o TST, todos são retroativos a maio.



Fonte:G1

TAGS

COMENTÁRIOS(0)

*Obs:Os comentários são de inteira reponsabilidade dos usuários, de acordo com os Termos de Uso.

ENCONTRE-NOS:+