A B c D E F G H

SP e RJ respondem por metade dos pedidos de bloqueio de celulares no país

SP e RJ respondem por metade dos pedidos de bloqueio de celulares no país
Nenhum comentário.
Nos dois estados, 64,4 mil aparelhos foram bloqueados em fevereiro após roubo, furto ou extravio, de um total de 122 mil casos no país. É a primeira vez que operadoras divulgam números por estado. Desde 2000, operadoras já fizeram o bloqueio de 9,5 milhões de celulares no Brasil termakashi0/Creative Commons Os estados de São Paulo e Rio de Janeiro respondem por metade dos pedidos de bloqueio de telefones celulares feitos pelos próprios donos, vítimas de roubo, furto ou extravio do aparelho. É o que revela levantamento do SindiTelebrasil, o sindicato das operadoras de telefonia. O serviço de bloqueio de celulares existe desde 2000, mas essa é a primeira vez que as empresas revelam o balanço por estado. Os números se referem a fevereiro de 2018, quando as operadoras registraram 122 mil novos pedidos de bloqueio de celulares. Desse total, 45,6 mil pedidos foram feitos por clientes de São Paulo e, outros 18,8 mil, do Rio de Janeiro. No ranking por estado, eles ocupam a primeira e segunda colocação, respectivamente. Os pedidos de bloqueio em São Paulo e no Rio somaram 64,4 mil, pouco mais da metade (52,3%) do total de 122 mil pedidos registrados em todo o país no mês passado. Pedidos de Bloqueio de Celulares / Fevereiro De acordo com o SindiTelebrasil, o número de bloqueios verificado em fevereiro de 2018 "segue a média do período", mas ficou um pouco abaixo do verificado no mesmo mês de 2017 (123 mil). A entidade informou ainda que o que possibilitou a divulgação por estado foi uma "atualização implementada no sistema pelas operadoras." Desde que foi criado, em 2000, o chamado Cadastro de Estações Móveis Impedidas (CEMI) acumula 9,5 milhões de aparelhos bloqueados. O bloqueio é feito após o dono informar o IMEI, que é um código de identificação do celular. Segundo o SindiTelebrasil, depois de bloqueado o aparelho não consegue mais fazer ligações ou utilizar a rede de dados (internet móvel) de todas as operadoras no Brasil e de outras 57 empresas em 19 países. Criminosos, porém, conseguem adulterar o IMEI do telefone roubado ou furtado. Por conta disso, as operadoras defendem que os fabricantes reforcem a segurança dos celulares.

Os estados de São Paulo e Rio de Janeiro respondem por metade dos pedidos de bloqueio de telefones celulares feitos pelos próprios donos, vítimas de roubo, furto ou extravio do aparelho.

É o que revela levantamento do SindiTelebrasil, o sindicato das operadoras de telefonia. O serviço de bloqueio de celulares existe desde 2000, mas essa é a primeira vez que as empresas revelam o balanço por estado.

Os números se referem a fevereiro de 2018, quando as operadoras registraram 122 mil novos pedidos de bloqueio de celulares. Desse total, 45,6 mil pedidos foram feitos por clientes de São Paulo e, outros 18,8 mil, do Rio de Janeiro. No ranking por estado, eles ocupam a primeira e segunda colocação, respectivamente.

Os pedidos de bloqueio em São Paulo e no Rio somaram 64,4 mil, pouco mais da metade (52,3%) do total de 122 mil pedidos registrados em todo o país no mês passado.

Pedidos de Bloqueio de Celulares / Fevereiro

Acre 363 Alagoas 905 Amazonas 2.696 Amapá 180 Bahia 6.443 Ceará 3.137 Distrito Federal 3.040 Espírito Santo 2.809 Goiás 3.361 Maranhão 1.108 Minas Gerais 7.964 Mato Grosso do Sul 943 Mato Grosso 1.585 Pará 2.601 Paraíba 986 Pernambuco 3.854 Piauí 796 Paraná 2.518 Rio de Janeiro 18.808 Rio Grande do Norte 1.018 Rondônia 548 Roraima 243 Rio Grande do Sul 7.908 Santa Catarina 1.305 Sergipe 1.122 São Paulo 45.607 Tocantins 234 Fonte: SindiTelebrasil deslize para ver o conteúdo

De acordo com o SindiTelebrasil, o número de bloqueios verificado em fevereiro de 2018 "segue a média do período", mas ficou um pouco abaixo do verificado no mesmo mês de 2017 (123 mil).

A entidade informou ainda que o que possibilitou a divulgação por estado foi uma "atualização implementada no sistema pelas operadoras."

Desde que foi criado, em 2000, o chamado Cadastro de Estações Móveis Impedidas (CEMI) acumula 9,5 milhões de aparelhos bloqueados. O bloqueio é feito após o dono informar o IMEI, que é um código de identificação do celular.

Segundo o SindiTelebrasil, depois de bloqueado o aparelho não consegue mais fazer ligações ou utilizar a rede de dados (internet móvel) de todas as operadoras no Brasil e de outras 57 empresas em 19 países.

Criminosos, porém, conseguem adulterar o IMEI do telefone roubado ou furtado. Por conta disso, as operadoras defendem que os fabricantes reforcem a segurança dos celulares.

Rio de Janeiro São Paulo

Fonte:G1

TAGS

COMENTÁRIOS(0)

*Obs:Os comentários são de inteira reponsabilidade dos usuários, de acordo com os Termos de Uso.

ENCONTRE-NOS:+